Skip to main content

Avaliação e Gestão de Perigosidades e Risco Ambiental

Sesimbra

RISKam

Avaliação e Gestão de Perigosidades e Risco Ambiental

O RISKam integra dezenas de investigadores (doutorados, estudantes de doutoramento e bolseiros de projetos de I&D) que desenvolvem trabalhos, teóricos e aplicados, no âmbito da avaliação da suscetibilidade, perigosidade, vulnerabilidade, risco e perceção de riscos naturais, ambientais e tecnológicos.

A investigação desenvolvida assenta em um forte suporte teórico, na experiência prática acumulada de dezenas de anos e recorre a ferramentas SIG e a técnicas de modelação espacial; as principais aplicações são dirigidas para o ordenamento e gestão do território e o planeamento de emergência.

A atividade dos investigadores do grupo de investigação reparte-se, atualmente, por Portugal (Continente, Açores e Madeira), Angola, Brasil, Cabo Verde, Espanha, Marrocos e Moçambique, estando enquadrada por projetos de investigação, contratos de prestação de serviços e orientação de dissertações. Na cooperação internacional destacam-se as relações com o Centre Européen sur les Risques Geomorphologiques do Conselho da Europa e com a European Geosciences Union.

Principais tópicos de pesquisa
 
Eixo Temático 1 – Mudanças Ambientais, Recursos e Riscos Naturais
  1. Estudo da instabilidade de vertentes e avaliação da perigosidade e dos riscos associados.
  2. Avaliação da erosão hídrica, seca e risco de desertificação.
  3. Avaliação da erosão costeira e dos riscos associados.
  4. Estudo da ocorrência de eventos meteorológicos extremos, incluindo identificação de limiares pluviométricos desencadeadores de outros fenómenos perigosos.
  5. Modelação da suscetibilidade, da perigosidade e da vulnerabilidade à ocorrência de cheias.
  6. Modelação da propagação e inundação por tsunami.
  7. Modelação do perigo e risco de incêndios rurais/florestais e urbanos.
  8. Modelação da difusão espacial de doenças e da disseminação de espécies invasoras.
  9. Análise e modelação multirrisco em SIG com métodos estatísticos/probabilísticos.
  10. Análise da subida do nível médio das águas do mar e avaliação dos impactos associados.
  11. Avaliação dos impactos das alterações climáticas nos processos e fenómenos naturais.
Eixo Temático 3 – Ordenamento do Território
  1. Avaliação das vulnerabilidades e perceção de riscos.
  2. Criação de sistemas de apoio à decisão para minimizar perdas derivadas de riscos ambientais.
  3. Avaliação multirrisco e definição de usos compatíveis no quadro do ordenamento do território e do planeamento de emergência.
Objetivos

O grupo de investigação tem como objetivo analisar, avaliar e gerir as diversas componentes do risco, relativamente a fenómenos perigosos, incluindo no contexto da adaptação às alterações climáticas, contribuindo para o incremento da resiliência para enfrentar desastres naturais, tecnológicos ou ambientais.

Objetivos específicos
  • Avaliar a perigosidade de tsunami com base em cenários de modelação numérica e analisar o seu impacto na zona costeira portuguesa;
  • Analisar os eventos hidrometeorológicos extremos mais destrutivos que afetaram Portugal durante os últimos 150 anos;
  • Definir os limiares críticos de precipitação para o desencadeamento de cheias e de movimentos de vertente, com vista à construção de protótipos de sistemas de alerta;
  • Avaliar a suscetibilidade e perigosidade de inundação por cheia, com base em análise espacial em SIG e modelação hidráulica;
  • Restringir as incertezas na avaliação do perigo e do risco de movimentos de vertente através do desenvolvimento de novos dados de entrada e novos procedimentos de modelação;
  • Analisar a distribuição espacial e temporal dos danos causados por fenómenos perigosos (essencialmente cheias, movimentos de massa em vertente e incêndios) em Portugal;
  • Avaliar a suscetibilidade à erosão das zonas costeiras e impactos nas atividades e infraestruturas humanas, num cenário de elevação do nível do mar;
  • Avaliar a suscetibilidade e perigosidade de incêndio florestal usando abordagens analíticas e avaliando a influência de fatores condicionantes em diferentes contextos geográficos;
  • Avaliar o risco potencial de doenças transmitidas por vetores e de dispersão de espécies alóctones infestantes;
  • Aumentar o conhecimento sobre a perceção de risco e vulnerabilidades humanas, avaliando a forma como as pessoas e as comunidades se comportar em relação aos riscos.
Sigla
RISKam
Coordenação

Equipa