Skip to main content

Dinâmicas e Políticas Urbanas e Regionais

ZOE banner

ZOE

Dinâmicas e Políticas Urbanas e Regionais

O grupo de investigação ZOE – Dinâmicas e Políticas Urbanas e Regionais – surgiu em 2014, agrupando três grupos de investigação existentes à altura: HEGEC (História e Ensino da Geografia e da Cartografia), o NETURB (Núcleo de Estudos Urbanos) e o NEST (Estratégias e Políticas Territoriais). 

Comprometidos com uma atividade científica livre, crítica e rigorosa, os investigadores e colaboradores do ZOE procuram contribuir para o desenvolvimento de regiões e cidades mais sustentáveis e coesas. 

Nos últimos anos, as atividades desenvolvidas privilegiaram quatro linhas fundamentais, no âmbito das quais os investigadores do ZOE têm escrito inúmeros artigos e capítulos de livros nas mais renomeadas revistas científicas e editoras internacionais. 

  1. A primeira respeita à investigação relativa aos processos contemporâneos de transformação sociogeográfica e geoeconómica em meio urbano, designadamente os efeitos da gentrificação e da segregação na cidade, a financeirização da habitação e as crescentes dificuldades no seu acesso, a qualidade do habitat e o papel dos vazios urbanos, ou as formas de regeneração do comércio e os impactos destes na organização das cidades. 
  2. O estudo crítico dos processos de inovação socioespacial, criatividade e transição digital constitui a segunda destas linhas. A análise dos meios socialmente criativos e das artes como promoção da inclusão socio-espacial têm constituído temática relevante, bem como o investimento cada vez mais significativo no domínio das geografias digitais, procurando dar resposta a questões de sustentabilidade regional e urbana com incorporação de inovações tecnológicas e sociais. 
  3. A terceira envolve investigação no âmbito das estratégias de desenvolvimento regional, dos desequilíbrios económicos e sociodemográficos dos territórios e da valorização dos territórios que “não contam” (periferias urbanas e áreas de baixa densidade), explorando o papel das redes de conhecimento, das opções de governança e política pública, para além de se abordarem aspetos específicos como a sustentabilidade demográfica e as formas de agricultura alternativa ao agronegócio, como a familiar e a urbana. 
  4. A quarta linha de investigação centra-se na reflexão do significado da Geografia e da sua utilidade social, designadamente na formação cidadã. Orienta-se para o pensamento geográfico, o ensino da geografia e o valor social da cartografia e da geografia no conhecimento e na cidadania, estando suportada, quer pelo forte envolvimento em atividades de extensão como o projeto Nós Propomos, quer por investigação básica relacionada, por exemplo, com as ligações entre Portugal e o Brasil no âmbito da ciência geográfica.

O ZOE procurará no futuro prosseguir investigação no contexto destas quatro linhas temáticas, progressivamente acompanhando e aprofundando campos de investigação, nomeadamente ao nível dos novos desafios relacionados com a sustentabilidade, com o digital, e com distintas preocupações sociais que surjam num contexto urbano em constante mudança.

O ZOE enquadra-se na missão do CEG e no recente Laboratório Associado TERRA. Para além destas estruturas, os investigadores do ZOE são membros de distintas redes nacionais e internacionais de investigação.

A investigação desenvolvida pelos investigadores do ZOE transparece a importância da ciência competitiva, mas também evidencia a ligação com a sociedade civil, nomeadamente com as autoridades locais e associações civis. Esta dualidade permite enriquecer o debate teórico acerca das atuais preocupações académicas e, simultaneamente, contribui para aplicar este conhecimento na sociedade. 

O ZOE revela-se como um grupo de investigação amplo, diverso, crítico e aberto ao debate, recetivo a acolher e apoiar ativamente jovens investigadores (mestrado e doutoramento), assim como investigadores seniores de outros países.

Sigla
ZOE

Equipa